O maior défice do País não é financeiro, nem é democrático, talvez seja neuronal, mas é concerteza de senso comum
Sábado, 28 de Março de 2009
a sida, o comportamento sexual e o preservativo

A Universidade de Harvard - Harvard Aids Prevention Research Project - defende que o uso do preservativo é menos eficiente do que o comportamento sexual na prevenção da sida. Ao fim de 20 anos de estudos intensivos na prevenção da sida nos países em desenvolvimento, a conclusão é de que o retardamento do início da vida sexual dos adolescentes e o incremento da monogamia é francamente mais eficiente do que o uso do preservativo.

Esta conclusão é óbvia. É muito mais eficaz convencer os povos a retardar a início da vida sexual e a manter a monogamia (reduzindo o número de parceiros sexuais preferencialmente a só um) do que andar a distribuir preservativos na floresta.

A política de comportamento sexual pode ser (e está a ser) implementada com relativa facilidade por missões religiosas, escolas, etc.

A prevenção assente no preservativo exige uma distribuição massiva.  Para ser minimamente eficiente, o uso do preservativo tem de ser geral e sistemático: implica a distribuição de, práticamente, um preservativo por dia a cada um dos milhões e milhões de pessoas envolvidas. Isto implica um custo brutal que ultrapassa a totalidade das verbas disponíveis e vai deixar milhões à fome, sem educação e sem tratamento de outras doenças.

Porquê então tanto entusiasmo pela prevenção assente no preservativo? Porque é um negócio da china para os fabricantes, os distribuidores, etc.... para imensa gente. A indústria e o comércio do preservativo tem o seu lobby...



publicado por commonsense às 12:45
link do post | comentar | favorito
|

4 comentários:
De fanicos a 28 de Março de 2009 às 16:33
Enquanto esta sociedade, dita civilizada, continuar a incentivar, por todos os meios, e até através dos paizinhos, as relações sexuais entre adolescentes (namoro sem cama, já não é namoro), não me parece que haja muito a fazer.


De commonsense a 28 de Março de 2009 às 23:17
Fanicos: o que diz é verdadeiro, mas só sucede num meio social restrito. Não tem significado geral, sobretudo em África ou nos países emergentes.
As investigações que referi fazem uma distinção clara entre o problema urbano e rural na prevenção da sida.
Outra questão é a dos filhos mimados da burguesia rica em que constitui padrão vulgar aqueles comportamentos que refere. Esses morrerão de sida e não farão grande falta. São lixo urbano.


De Fanicos a 29 de Março de 2009 às 20:04
O problema é que, caro commonsense, os países do primeiro mundo, como Espanha, França e outros, que deviam dar o exemplo, reagiram às papavras do Papa ... enviando milhões de preservativos, a a título gratuito, para África!. E enquanto a poligamia tende a desaparecer em África - nos outros continentes é praticamente inexistente - na Europa e América aumenta o permissivismo, o adultério, o divórcio, a homoxessualidade, o aborto, etc., etc.
Onde está a nossa missão civilizadora? Ou vamos deixá-la apenas a padres e freiras?


De commonsense a 29 de Março de 2009 às 22:41
Milhões de preservativos enviados para África, dão mais ou menos para uns poucos dias. Quer dizer, não servem para nada, a não ser para um golpe de imagem.
No restante, não sou tão pessimista: a promiscuidade existe na Europa e na América ricas, mas afecta um parte muito limitada da população. Em geral, as pessoas séria e honestas - as pessoas de bem - não são promíscuas. E, como se sabe, sem promiscuidade não há difusão da sida. O que é importante e eficiente é reduzir a promiscuidade.


Comentar post

blogs SAPO
mais sobre mim
visitas
subscrever feeds
links
pesquisar
 
posts recentes

de volta para o Blogger

o bastonário

broken windows

inocência

o bastonário

o regular funcionamento d...

Sócrates tem mesmo de ser...

bloco central revisited

o bairro da bela vista

um só Deus para tanta gen...

isto é uma vergonha (8) a...

SAP - sociedades anónimas...

a Chrysler faliu

viragem de rumo na Islând...

o Diário de Notícias e o ...

europeias 4 - o debate na...

the fool on the hill

europeias 3

combustíveis, concorrênci...

Vincent van Gogh

cego, surdo e mudo

sem eira nem beira

europeias 2

nem às paredes confesso.....

isto é uma vergonha (7) a...

candura

a sida, o comportamento s...

o bastoneiro da desordem

isto é uma vergonha (6) o...

Jennifer Junniper (Donova...

a saga do provedor

pinho & lino

o relatório Larosière

é preciso não perceber na...

madoff

consciência da impunidade

Portugal novo

já não era sem tempo

ó patego olh'ó balão

a cimeira europeia

tu quoque

isto é uma vergonha (5) "...

lá e cá, a Máfia

anomia

supervizinha

isto é uma vergonha (4) V...

invasão dos bárbaros

accionistas masoquistas

yes we can!

isto é uma vergonha (3) F...

arquivos

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Agosto 2005

Junho 2005

Maio 2005

tags

aborto baby-killers

american soft power

baby killers

baby killers 4

berlusconi

burocracia

casa pia

crianças

crianças; casa pia

crise

cultura

dinheiro

economia

esperança; política; desporto

ética

europa

freeport

fumar

guerra

islão

justiça

kosovo

natal

negócios

nuclear

ota

país

paz

pinho&lino

política

ps

psd

religião

renditions

saúde

sida

sixties

sociedade

socretinos

tabaco

universidade

todas as tags

subscrever feeds