O maior défice do País não é financeiro, nem é democrático, talvez seja neuronal, mas é concerteza de senso comum
Domingo, 28 de Setembro de 2008
The Great American Disaster

 

Nos últimos anos, toda a gente criticava a Europa porque tinha uma rede social e um sistema financeiro regulado.


Agora foi o que se viu. Na América, quem não tiver um seguro de saúde morre à porta do hospital, nem que seja com gripe, que ninguém a trata. Mas, pelo contrário, os "tax payers" vão desembolsar 700 mil milhões de dólares para salvar os bancos falidos.


Mas a coisa está feia. Toda a gente violou todas as regras: as regras de prudência nas operações financeiras foram deitadas fora por uma data de putos "youpies" malucos com brilhantina no cabelo e cocaína no nariz. Ao mesmo tempo, ninguém supervisou o que quer que fosse, para que não se visse que o rei ia nu. Tão nu como o “naked short selling”: uma prática “genial” em que uma pessoa vende na bolsa acções que não tem, mas que só tem que entregar mais tarde, e as quais vai depois comprar, mais tarde e mais baratas do que o o preço pelo qual as vendeu. Assim se ganha dinheiro nas baixas. São tão inteligentes, tão geniais estes “putos malucos”, que descobriram a pólvora e estoiraram com ela. (O "short selling" não "naked" é feito com acções “emprestadas” ou “alugadas” (até já há leasing de acções!!!) por investidores institucionais (fundos etc.) que ganham uns cobres pelo aluguer, enquanto os “locatários” as fazem descer para as recomprarem mais baratas e restituírem ao “locador”, ganhando fortunas.


O problema é que isto não são propriamente operações financeiras: são mais jogo e aposta. A roleta louca do “Wall Street Casino” em roda livre.


Para agravar, há anos que se mudou o sistema de contabilização na base do custo histórico de aquisição para o chamado “fair value”, também chamado “mark to market”, em que os activos “assets” são contabilizados pelo valor de mercado em vez de o serem pelo custo de aquisição. Enquanto tudo subiu especulativamente, as mais valias foram fantásticas e os bónus dos administradores também. Quando tudo começou a cair, foi o descalabro, com os activos a deixarem de cobrir os passivos. Qualquer semelhança entre o balanço e a realidade é pura coincidência.


E agora?


Agora, deita-se dinheiro em cima de tudo isto. Mas não é assim tão fácil. A injecção de 700 BIs ou mesmo de um TRI pode ser que não chegue, tal foi o desastre! E, pior ainda, essa injecção vai fazer cair o dólar pelo cano abaixo e não vai reconstituir a confiança no mercado. Qualquer banco, hoje, tem mais confiança na tabacaria da esquina do que no banco ao lado. Eles conhecem-se bem e sabem que não são de fiar. Ninguém confia em ninguém naquele mercado onde todos se conhecem bem demais.


Se Jesus viesse à terra em Wall Street e invadisse a Bolsa à frente de uma multidão de desempregados, espancando tudo e todos, seria preso, julgado, condenado à morte e executado.


Analogia bíblica!


Só um milagre vai poder salvar o sistema financeiro americano. Mas será que Jesus, depois de condenado à morte e executado ainda estará disposto a fazer esse milagre? A misericórdia divina é infinita, mas num caso como este há-de exigir o prévio arrependimento sincero, com a reparação do mal causado e a punição dos culpados. Só que é muito duvidoso que venha a haver arrependimento sincero e contrito com restituição das fortunas que se ganharam, reparação efectiva do mal causado com indemnização dos prejuízos, com compensação às famílias sem casa nem trabalho, e sobretudo com castigo dos culpados, isto é, prisão com confisco dos ganhos ilícitos.


That's it, the financial armagedon, the great american disaster!

 



publicado por commonsense às 13:36
link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De LUSITANO a 1 de Outubro de 2008 às 17:36
O problema meu Caro Commonsense , é que a seguir à queda dos EUA e da sua louca política económica, vem a Europa (aliás, já se está a ver), e o Japão (pouca gente fala dos milhões que está a injectar no mercado), seguida pelos tais países emergentes que sem mercado, desatam a vir por aí fora e desata tudo à bofetada, tão certo como me chamo José.
Cumprimentos

LUSITANO


De commonsense a 1 de Outubro de 2008 às 22:25
Meu Caro Lusitano,
Não sou assim tão catastrófico. Embora haja quem esteja, nem todos, dentro e fora da América, estão em situação de ruptura. Houve em todo o lado quem resistisse ao investimento fácil em «junk securities» e mantivesse a prudência que é exigível aos banqueiros e aos agentes do mercado financeiro.
O que vai haver, espero eu, é alguns na prisão, outros arruinados e um novo sistema em que não valha tudo.
De qualquer modo, a eposição da Europe e do japãp são mínimos, não obstante a muita publicidade que é dada a cada caso que aparece..


Comentar post

blogs SAPO
mais sobre mim
visitas
subscrever feeds
links
pesquisar
 
posts recentes

de volta para o Blogger

o bastonário

broken windows

inocência

o bastonário

o regular funcionamento d...

Sócrates tem mesmo de ser...

bloco central revisited

o bairro da bela vista

um só Deus para tanta gen...

isto é uma vergonha (8) a...

SAP - sociedades anónimas...

a Chrysler faliu

viragem de rumo na Islând...

o Diário de Notícias e o ...

europeias 4 - o debate na...

the fool on the hill

europeias 3

combustíveis, concorrênci...

Vincent van Gogh

cego, surdo e mudo

sem eira nem beira

europeias 2

nem às paredes confesso.....

isto é uma vergonha (7) a...

candura

a sida, o comportamento s...

o bastoneiro da desordem

isto é uma vergonha (6) o...

Jennifer Junniper (Donova...

a saga do provedor

pinho & lino

o relatório Larosière

é preciso não perceber na...

madoff

consciência da impunidade

Portugal novo

já não era sem tempo

ó patego olh'ó balão

a cimeira europeia

tu quoque

isto é uma vergonha (5) "...

lá e cá, a Máfia

anomia

supervizinha

isto é uma vergonha (4) V...

invasão dos bárbaros

accionistas masoquistas

yes we can!

isto é uma vergonha (3) F...

arquivos

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Agosto 2005

Junho 2005

Maio 2005

tags

aborto baby-killers

american soft power

baby killers

baby killers 4

berlusconi

burocracia

casa pia

crianças

crianças; casa pia

crise

cultura

dinheiro

economia

esperança; política; desporto

ética

europa

freeport

fumar

guerra

islão

justiça

kosovo

natal

negócios

nuclear

ota

país

paz

pinho&lino

política

ps

psd

religião

renditions

saúde

sida

sixties

sociedade

socretinos

tabaco

universidade

todas as tags

subscrever feeds