O maior défice do País não é financeiro, nem é democrático, talvez seja neuronal, mas é concerteza de senso comum
Segunda-feira, 30 de Junho de 2008
todos os pretextos são bons

 

Hoje foi um aumento da tensão entre Israel e o Irão. Ontem mais uma baixa do dollar. Amanhã será outra coisa qualquer.
 
Mais ou menos todos os dias, às vezes dia sim dia não, pelo menos uma vez por semana, há um pretexto para aumentar o preço do petróleo.
 
Mas não se sabe exactamente em que local do seu percurso se dá o aumento. É na extracção? É no transporte? É na refinação? É na distribuição?
 
Há quem diga que é porque os países emergentes estão a gastar mais. Mas os produtores dizem que há petróleo em quantidade mais do que suficiente no mercado, o que desmente que a alta do preço seja impulsionada pela procura. Também não há problemas no transporte, nem na refinação, nem na distribuição.
 
Será que o aumento é resultado da especulação financeira no mercado de futuros?
 
É fundamental saber para poder agir.
 
Enquanto este mercado se caracterizar pelo domínio total da oferta sobre a procura e pela mais impenetrável opacidade, tal significará que mercado verdadeiramente não existe. Nem sequer um mercado imperfeito.
 
E, se assim é – como parece que é – os reguladores têm de intervir. Têm de intervir com urgência, com músculo e com eficácia.
 
Se for necessário proibir os futuros de produtos energéticos que se proíba.
 
O que não pode é continuar este assalto, esta rapina, infrene… que continuará, cada vez mais voraz enquanto lhe for possível continuar.


publicado por commonsense às 22:30
link do post | comentar | favorito
|

8 comentários:
De Margarida Pino a 1 de Julho de 2008 às 17:40
Pois é Commonsense. Andamos a ser assaltados e os ladrões andam (e andarão) à solta. Você chama a atenção para um problema preocupante. Reli um artigo de um amigo meu que aconselho. Está em:http://www.janelanaweb.com/digitais/rui_rosa43.html. Ainda está actual.
A secção portuguesa da Associação para o Estudo do Pico do Petróleo e do Gás - ASSOCIATION FOR THE STUDY OF PEAK OIL AND GAS – ASPO. (http://www.aspo-portugal.net) tem também um artigo sobre o Pico de Hubbert ( que é sinónimo do Pico do Petróleo) com previsões terríveis para o petróleo e o gás natural apontado 2010 como o ano da maior crise.Quem consultar poderá verificar os gráficos resultantes do modelo matemático aplicado.
Estas pequenas referências de leitura (ou consulta) não pretendem ser mais do que uma contribuição ao post que li com agrado.


De Margarida Pino a 1 de Julho de 2008 às 17:46
Volto para corrigir o link para o meu blog. Espero que agora deixe de ser "anónimo" e possa ser consultado por alguém interessado :))


De fanicos a 2 de Julho de 2008 às 01:09
Gostei do post.
Desta vez, estamos de acordo.
Não é que eu preceba muito disto, mas há alguma coisa que não cheira bem neste problema do petróleo.
Entretanto, acho que devíamos insistir nas energias alternativas, a começar pela nuclear (hoje já não é tão perigoso).
A coisa que mais me dava gozo, era ver os árabes (e não só) a beber petrólio ao pequeno almoço.
À parte disso, a especulação é um crime, e não foi inventado hoje, nem ontem. O problema é prová-lo. E, se estamos à espera dos Tribunais, da EU, da ONU, bem podemos esperar sentados.
É como Israel: ou ataca, ou morre.


De padeiradealjubarrota a 4 de Julho de 2008 às 00:33
Mas já viram que a água está mais cara que o petróleo? Façam as contas a uma garrafinha de água vinda ali da fonte e à quantidade de intermediários no negócio do petróleo.
Quanto ao preço do petróleo trata-se de especulação.


De fanicos a 5 de Julho de 2008 às 01:19
Padeirinha, beba água da torneira. :)


De Margarida Pino a 7 de Julho de 2008 às 11:34
Fanicos parabéns pelo conselho à Padeira :)) Gosto do espírito prático da Padeira mas às vezes mete a pá no forno rápido de mais. Se vai explicar a teoria da água mais cara para alguma bomba de gasolina...não sei não... não haverá pá que lhe valha!
Boa semana!


De commonsense a 7 de Julho de 2008 às 20:01
A água é vendida em garrafinhas e tem muito mais postos de venda, o que aumenta os custos de distribuição.

Mas nãp há que temer: a gasolina e o gasóleo ainda hão-de ser vendidos nas perfumarias.


De commonsense a 7 de Julho de 2008 às 22:57
Ou às colheres ...


Comentar post

blogs SAPO
mais sobre mim
visitas
subscrever feeds
links
pesquisar
 
posts recentes

de volta para o Blogger

o bastonário

broken windows

inocência

o bastonário

o regular funcionamento d...

Sócrates tem mesmo de ser...

bloco central revisited

o bairro da bela vista

um só Deus para tanta gen...

isto é uma vergonha (8) a...

SAP - sociedades anónimas...

a Chrysler faliu

viragem de rumo na Islând...

o Diário de Notícias e o ...

europeias 4 - o debate na...

the fool on the hill

europeias 3

combustíveis, concorrênci...

Vincent van Gogh

cego, surdo e mudo

sem eira nem beira

europeias 2

nem às paredes confesso.....

isto é uma vergonha (7) a...

candura

a sida, o comportamento s...

o bastoneiro da desordem

isto é uma vergonha (6) o...

Jennifer Junniper (Donova...

a saga do provedor

pinho & lino

o relatório Larosière

é preciso não perceber na...

madoff

consciência da impunidade

Portugal novo

já não era sem tempo

ó patego olh'ó balão

a cimeira europeia

tu quoque

isto é uma vergonha (5) "...

lá e cá, a Máfia

anomia

supervizinha

isto é uma vergonha (4) V...

invasão dos bárbaros

accionistas masoquistas

yes we can!

isto é uma vergonha (3) F...

arquivos

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Agosto 2005

Junho 2005

Maio 2005

tags

aborto baby-killers

american soft power

baby killers

baby killers 4

berlusconi

burocracia

casa pia

crianças

crianças; casa pia

crise

cultura

dinheiro

economia

esperança; política; desporto

ética

europa

freeport

fumar

guerra

islão

justiça

kosovo

natal

negócios

nuclear

ota

país

paz

pinho&lino

política

ps

psd

religião

renditions

saúde

sida

sixties

sociedade

socretinos

tabaco

universidade

todas as tags

subscrever feeds