O maior défice do País não é financeiro, nem é democrático, talvez seja neuronal, mas é concerteza de senso comum
Domingo, 1 de Junho de 2008
Faltou-lhe o golpe d'asa...

Lá ganhou a Manuela.

Com margem magrinha, como é costume no PSD, mas ganhou. 

 

Agora importa saber se no congresso que aí vem a seguir conseguirá compor uma equipa políticamente forte e competente, e que não seja sectária. Quer dizer, que inclua gente para além dos seus apoiantes. Se o conseguir, o PSD ganhará um novo "lease of life".

 

Depois:  

O PSD irá atacar Sócrates e o seu Governo com gana. O ataque vai assentar sobretudo em ortodoxias: ortodoxia política, ortodoxia financeira e até moral. Uma das componentes mais vistosas deste combate será a protecção dos mais pobres e dos mais desprotegidos afectados pela crise. Sócrates vai defender-se acusando a Manuela de ser uma das causadoras de crise orçamental, quando foi Ministra das Finanças. Vai ser um diálogo de surdos.

 

Se a crise económica se instalar e aprofundar, como receio que aconteça, Sócrates vai perder a maioria absoluta de certeza e talvez mesmo a maioria. Depende de o descontentamento das pessoas disparar e de essas pessoas conseguirem ver na Manuela a solução. 

Esta última condição poderá ser difícil porque, segundo a conheço, a Manuela vai pregar uma ortodoxia financeira e orçamental ainda mais dura que a de Sócrates. E, seja certo ou errado, as pessoas o que não querem é ortodoxia financeira. Casa onde não há pão... 

Mesmo assim, antes a Manuela do que o Lopes. 

 

Mas foi pena. Foi escolhida a opção mais conhecida, mais cautelosa, com menos rasgo, com menos génio político.

 

Ao PSD faltou o golpe d'asa... 

 

Post scriptum: I wonder como é que o Santana Lopes ainda teve tantos votos. Como é possível, meu Deus!

 


tags:

publicado por commonsense às 09:55
link do post | comentar | favorito
|

7 comentários:
De tiago menor a 1 de Junho de 2008 às 17:20
De facto, MFL não tem capacidade para fazer o que quer que seja como opositora ao governo... Dos seus apoiantes não se vislumbram quaisquer rasgos de brilhantismo que permitam pensar em melhores dias para o nosso País.
Mas o que mais supreende é que a senhora não perceba que não nasceu para isto...! Sempre que desempehou papéis políticos de destaque, foi a incompetência que se viu... Ainda por cima, é convencida e arrogante!
Não concordo com a crítica que faz a PSL. Penso que, de todos, é o mais corajoso e tenaz, e sem medos para enfrentar os palermas que estão no poder.


De Mac Adame a 1 de Junho de 2008 às 18:12
Aproveito para mandar um abraço à Manuela. Mas um bem apertado e à altura do pescoço, para ver se a esgano. Seja como for, este resultado da eleição que se seguiu ao golpe de estado no PSD até que nem é mau: como os portugueses têm uma estranha atracção pela porcaria, vão ficar tão indecisos entre o Zé e a Manela que vão acabar por pôr duas cruzinhas, uma em cada um. Com tantos votos nulos, talvez seja desta que dão uma oportunidade a um dos partidos que nunca desgovernaram. À esquerda ou à direita, tanto faz, que tudo é preferível a ter mais do mesmo.


De Curiosa a 2 de Junho de 2008 às 22:59

Não sou militante nem simpatizante do PSD (nem de outro partido qualquer), mas creio que Ferreira Leite não fará moça a Sócrates. O PS não ganhará com maioria, mas ganhará, não devido à oposição de Ferreira Leite/PSD, mas devido ao descontentamento generalizado. Os dois têm demasiadas parecenças.
A distância entre Manuela Ferreira Leite e Pedro Passos Coelho foi curta, muito curta. Ferreira Leite primou pela antiguidade, e neste caso talvez lhe tenha dado o posto, mas Passos Coelho traria o sangue na guelra que o PSD precisa para se impor.
A ver vamos se esta eleição não virá a ser um amargo de boca.


De commonsense a 2 de Junho de 2008 às 23:27
É difícil estar mais de acordo consigo do que estou.
Não vejo a Manuela Ferreira Leite a captar os votos dos eleitores mais novos, nem sequer a ter a imaginação e a elasticidade para compreender que esta não é apenas uma crise orçamental como as dos anos oitenta.
Estamos num século que já não é o dela.
Além disso, ninguém, hoje, quer homens ou damas de ferro. Do que Portugal precisa é de agilidade e não de rigidez, é de imaginação e não de teimosia.
O PSD mais uma vez perdeu a oportunidade de cumprir a sua obrigação constitucional e cívica, que é a de servir de medium para o exercício da democracia pelos cidadãos. Com esta solução, fica damasiada gente sem representação política no sistema.
Até eu.


De touaqui42 a 3 de Junho de 2008 às 17:26
Como português não tenho qualquer ilusão que a SENHORA venha fazer algo ao PAÍS.
Afinal já disse numa entrevista a 4 o qual era o seu pensamento para PORTUGAL.
Não sou a favor de nenhum dos que se habilitaram ao POISO de MAIOR do PSD.
Mas pelas eleição se repara que a luta interna é tremenda.
Cada um irá puxar a sua BRASa á sua sardinha.
Todos dirão ESTAMOS AQUI para SERVIR O PSD.
Pois, direi eu, vão TRABALHAR malandros.
Já basta reparar que numa ASSEMBLEIA de uma REPUBLICA existe DEPUTADOS a meio TERMO.


De fanicos a 3 de Junho de 2008 às 19:04
Um partido que dá tantos votos ao Santana ... hum ... não sei não


De padeiradealjubarrota a 3 de Junho de 2008 às 21:19
Vai ser um fardo pesado. E uma grande chatice ! Até porque ambos estão na mesma parada, Sócrates e Ferreira Leite. Agora duvido que Sócrates tenha a maioria absoluta.

Eu fiz greve às gasolineiras, e vou passar a partir de agora a pôr nas pequenas. De qualquer forma, falei com uma dessas pequenas gasolineiras e tinha aumentado as vendas em 35%.


Comentar post

blogs SAPO
mais sobre mim
visitas
subscrever feeds
links
pesquisar
 
posts recentes

de volta para o Blogger

o bastonário

broken windows

inocência

o bastonário

o regular funcionamento d...

Sócrates tem mesmo de ser...

bloco central revisited

o bairro da bela vista

um só Deus para tanta gen...

isto é uma vergonha (8) a...

SAP - sociedades anónimas...

a Chrysler faliu

viragem de rumo na Islând...

o Diário de Notícias e o ...

europeias 4 - o debate na...

the fool on the hill

europeias 3

combustíveis, concorrênci...

Vincent van Gogh

cego, surdo e mudo

sem eira nem beira

europeias 2

nem às paredes confesso.....

isto é uma vergonha (7) a...

candura

a sida, o comportamento s...

o bastoneiro da desordem

isto é uma vergonha (6) o...

Jennifer Junniper (Donova...

a saga do provedor

pinho & lino

o relatório Larosière

é preciso não perceber na...

madoff

consciência da impunidade

Portugal novo

já não era sem tempo

ó patego olh'ó balão

a cimeira europeia

tu quoque

isto é uma vergonha (5) "...

lá e cá, a Máfia

anomia

supervizinha

isto é uma vergonha (4) V...

invasão dos bárbaros

accionistas masoquistas

yes we can!

isto é uma vergonha (3) F...

arquivos

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Agosto 2005

Junho 2005

Maio 2005

tags

aborto baby-killers

american soft power

baby killers

baby killers 4

berlusconi

burocracia

casa pia

crianças

crianças; casa pia

crise

cultura

dinheiro

economia

esperança; política; desporto

ética

europa

freeport

fumar

guerra

islão

justiça

kosovo

natal

negócios

nuclear

ota

país

paz

pinho&lino

política

ps

psd

religião

renditions

saúde

sida

sixties

sociedade

socretinos

tabaco

universidade

todas as tags

subscrever feeds