O maior défice do País não é financeiro, nem é democrático, talvez seja neuronal, mas é concerteza de senso comum
Domingo, 6 de Janeiro de 2008
Virtual

 

Fui ao Algarve e vim pela A2 e não vi uma única patrulha da GNR.
Durante o caminho, pensei: onde estão eles? e a resposta veio logo ao meu espírito: no telejornal!

 

Esta é uma técnica de demagogia em que este governo é perito:
- Anuncia no telejornal que vai haver gente a ser multada e a ficar sem carta; até passa vídeos. Os portugueses (em geral) gostam.
- Na prática não faz nada disso. Cada português (em particular) gosta.

 

O efeito demagógico é infalível: os portugueses gostam que "os outros" sejam multados e fiquem sem carta; mas não gostam que isso lhes suceda a si próprios.

 
Fica tudo no melhor dos mundos: os portugueses, agradados por saberem que os "outros" vão ser multados, aqueles energúmenos que não sabem guiar, fazem manobras perigosas e, sobretudo, os ultrapassam com carros melhores que os deles; e ficam agradados porque eles próprios não são incomodados pela Brigada de Trânsito que miraculosamente, por acaso, não andou onde eles andaram.

A felicidade é geral.
O governo nem sequer tem de gastar combustível e pagar horas extraordinárias: as campanhas do Natal e do Ano Novos, com tolerância zero e tudo, são quase totalmente virtuais.

 

Mas há sempre um "qualquer coisa", um gato fedorenteo que é apanhado, para dar credibilidade à coisa.

 

Como propagando, convenhamos, é genial!

 

 


tags:

publicado por commonsense às 12:48
link do post | comentar | favorito
|

6 comentários:
De Anónimo a 6 de Janeiro de 2008 às 13:11
Vivo numa pequena e pacata vila a 20 km a norte de Lisboa,sexta feira passada fui multado em 30 euros por falta de um documento do veiculo que apresentei no minuto seguinte,pois estava a 50 metros de casa,3 viaturas da bt,operação stop,esposa, supermercado,zona residencial=30 euros de multa.


De commonsense a 6 de Janeiro de 2008 às 20:18
Eu também fui multado com grande rigor na Álvares Cabral por uma coisinha ridícula que não envolvia qualquer questão de segurança.

Mas na Estrada, não há verderiamente fiscalização. Basta olhar para a A5, onde 3 ou 4 patrulhas de mota acabavam com o que de mais perigoso ali se passa, que é a conduções colado ao carro da frente, como quem empurra. Mas também não se sabe onde andam as motos.


De Barão da Tróia a 8 de Janeiro de 2008 às 14:19
Nem mais, no meu caso sai de Almeirim pela A2 fui a Sesimbra, voltei pela A1, vim a casa e à tardinha pela A15 até Óbidos e nem uma brigada, zero, nada. Ganda operação que os tipos fizeram. Boa semana


De R. de Assis a 10 de Janeiro de 2008 às 16:03
Aos agentes da GNR e aos da PSP ninguém os vê, nas situações em que deveriam estar presentes.
Só com o cheiro a multa é que eles aparecem...
Triste sina a do nosso País, onde as polícias perderam a noção da sua missão e do seu dever, e apenas empatam os cidadãos em ridículas operações de "stop" ou na procura de alguma pequena falha para extorquir dinheiro com a aplicação das nefandas multas...!
Até quando vamos permitir esta autêntica inversão dos deveres das polícias, que apenas prejudicam os cidadãos e não cumprem com a sua missão, que é a de proteger-nos e dar-nos segurança...?!


De Mac Adriano a 10 de Janeiro de 2008 às 19:07
Propaganda genial? Pois claro! Já o tenho dito e redito: se este governo tem grande capacidade em alguma coisa, é na propaganda. Nem o velho Estado Novo era tão bom na autopromoção.


De padeiradealjubarrota a 29 de Janeiro de 2008 às 20:55
Tá tudo louco.


Comentar post

blogs SAPO
mais sobre mim
visitas
subscrever feeds
links
pesquisar
 
posts recentes

de volta para o Blogger

o bastonário

broken windows

inocência

o bastonário

o regular funcionamento d...

Sócrates tem mesmo de ser...

bloco central revisited

o bairro da bela vista

um só Deus para tanta gen...

isto é uma vergonha (8) a...

SAP - sociedades anónimas...

a Chrysler faliu

viragem de rumo na Islând...

o Diário de Notícias e o ...

europeias 4 - o debate na...

the fool on the hill

europeias 3

combustíveis, concorrênci...

Vincent van Gogh

cego, surdo e mudo

sem eira nem beira

europeias 2

nem às paredes confesso.....

isto é uma vergonha (7) a...

candura

a sida, o comportamento s...

o bastoneiro da desordem

isto é uma vergonha (6) o...

Jennifer Junniper (Donova...

a saga do provedor

pinho & lino

o relatório Larosière

é preciso não perceber na...

madoff

consciência da impunidade

Portugal novo

já não era sem tempo

ó patego olh'ó balão

a cimeira europeia

tu quoque

isto é uma vergonha (5) "...

lá e cá, a Máfia

anomia

supervizinha

isto é uma vergonha (4) V...

invasão dos bárbaros

accionistas masoquistas

yes we can!

isto é uma vergonha (3) F...

arquivos

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Agosto 2005

Junho 2005

Maio 2005

tags

aborto baby-killers

american soft power

baby killers

baby killers 4

berlusconi

burocracia

casa pia

crianças

crianças; casa pia

crise

cultura

dinheiro

economia

esperança; política; desporto

ética

europa

freeport

fumar

guerra

islão

justiça

kosovo

natal

negócios

nuclear

ota

país

paz

pinho&lino

política

ps

psd

religião

renditions

saúde

sida

sixties

sociedade

socretinos

tabaco

universidade

todas as tags

subscrever feeds