O maior défice do País não é financeiro, nem é democrático, talvez seja neuronal, mas é concerteza de senso comum
Sábado, 31 de Janeiro de 2009
yes we can!

 

Já chega de tanta vergonha.

 

Mas será que podemos fazer alguma coisa?

 

A resposta está aqui:

 

 

imagem colhida na blogosfera



publicado por commonsense às 23:12
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Sexta-feira, 30 de Janeiro de 2009
isto é uma vergonha (3) Freeport

É inquietante esta evolução do sistema português de justiça criminal.

 

Quando se trata de pessoas comuns funciona, melhor ou pior. Mas sempre que afecta pessoas importantes, o sistema deixa de funcionar. Assim sucedeu no caso de Camarate, no do fax de Macau, no processo de pedofilia de Cascais, no processo dos submarinos, no caso Portucale, na operação furacão, no caso BCP e noutros que não sei ou que não me ocorrem agora. 

 

O caso Freeport, também foi abafado até que a justiça inglesa se interessou por ele. Aí foi o pânico. Usou-se tudo o que esteve à mão, desde juristas complacentes até os ministros do costume, desde da candura da directora do DCIAP, até ao Procurador-Geral da República.

 

Mas agora, a manobra não está a resultar. Sócrates e os socretinos falaram antes de tempo e foram desmentidos pelos factos. Não sabem o que é que a polícia inglesa sabe, nem o que se virá a saber. Vitimizam-se, acusam cabalas e outras estupidezes.

 

Das declarações da directora do DCIAP e do Procurador-Geral da República parece poder concluir-se que o inquérito português será arquivado. Porém, a justiça inglesa não parece disposta a parar e o mais natural é que o caso seja arquivado em Portugal, mas prossiga até julgamento em Londres. 

 

E aí, pode ser que alguém seja condenado por ter subornado Sócrates...

 

...e isto é uma vergonha!

 



publicado por commonsense às 19:55
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009
ressurexit

 O blog commonsense original, no sapo, renasceu. Os sempre prestáveis e muito competentes assistentes conseguiram finalmente, não sem grande esforço trabalho, remover e corrigir o bug que impedia o login

 

Commonsense exprime publicamente o seu agradecimento.

 

Agradece também a hospitalidade ao blogger, onde commensense foi entretanto asilar.

 

Commonsense regressa a casa – ao http://commonsense.blogs.sapo.pt – trazendo todos os posto entretanto colocado no blogger, com as respectivas imagens, vídeos e comentários.



publicado por commonsense às 20:19
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Sábado, 24 de Janeiro de 2009
girls will be boys and boys will be girls
A propósito do tropismo transsexual da moção de Sócrates ao congresso do PS, commonsense recorda um êxito do Kinks (1970): LOLA



publicado por commonsense às 19:22
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Sócrates em apuros (2) isto é uma vergonha!
Esta história do Freeport já me tinha cheirado a esturro.

Agora, com a polícia inglesa à procura do subornador, fica(m) o(s) subornado(s) em muito piores lençóis. É que não vai ser fácil abafar a coisa. Continuemos a seguir com atenção...

Mas agora há uma nova dimensão. O que se passa é uma vergonha para Portugal, para os Portugueses e para a justiça portuguesa que só se (re)lembrou do processo quando os ingleses se meteram.

Isto é uma vergonha!

tags:

publicado por commonsense às 15:32
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 21 de Janeiro de 2009
os nomes e as coisas

A maior parte das coisas costuma ter nome. Este nome serve para as designar e para as identificar, impedindo que sejam confundidas com outras.

Mas o nome que se dá a uma coisa não determina nem muda a sua natureza, o seu ser.

Assim, se chamarmos esfera a um cubo ela não deixa de ser cubo; se chamarmos cão a um gato ele não passa a ladrar; se chamarmos vento à terra, ela não passa a soprar.

Isto vem a propósito da pretensão de chamar casamento à união homossexual: não é por se lhe dar esse nome que passa a ser um casamento: continuará a ser o que é.

Esta é uma falsificação socretina. As coisas são o que são, sejam quais forem os nomes que lhes chamem, e não mudam de natureza com a mudança de nome.

Também o nosso Sócrates, por lhe chamarem Sócrates, não passou a ser sábio, nem filósofo, nem a saber que nada sabe.

Esta ideia socretina de chamar casamento à união homossexual poderá render votos à esquerda, mas irá aprofundar o fosso que já tinha sido cavado com o aborto. Em vez de unir os portugueses divide-os, em vez de concórdia trás divergência.

Isto vem de uma estratégia socretina de dividir a direita em duas: a direita dos valores e a direita dos interesses. Comprar a direita dos interesses com obras públicas e castigar a direita dos valores com um ataque serrado aos valores tradicionais. Simultaneamente, seduzir a esquerda com o aborto, uniões homossexuais e o que mais aí vier.

Se lhe derem o tempo e os votos.



publicado por commonsense às 21:48
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Segunda-feira, 19 de Janeiro de 2009
socretinos
São os adeptos, seguidores e admiradores do Sócrates.

O neologismo, de minha invenção, é necessário porque seria uma falsificação grave chamar-lhes «socráticos».

Na mesma linha, as ideias, frases, políticas, etc., do Sócrates são socretinas e pode falar-se também em socretinisses.

Vou passar a usar esta terminologia.


publicado por commonsense às 21:27
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 12 de Janeiro de 2009
o xico-esperto

Segundo notícia avançada pelo Público, Armando Vara foi promovido pela CGD ao escalão máximo de vencimento, já depois de ter abandonado a instituição para ingressar na administração do BCP.
A propósito, ocorre-me recordar que o pudor é a última homenagem que o vício presta à virtude.
Aqui já nem há pudor.


publicado por commonsense às 21:33
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Sábado, 10 de Janeiro de 2009
Sócrates em apuros (1)

É interessante ler o que consta do post publicado no blog Blasfémias sob o título Ex-ministro de Guterres.

Commonsense sempre tinha achado weird a história do Freeport.

Agora acha mesmo muito embaraçoso para Portugal, para a justiça portuguesa e para o próprio Primeiro Ministro.

Sem fazer juízos prematuros, importa seguir com atenção.

tags:

publicado por commonsense às 18:49
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 9 de Janeiro de 2009
tanta hipocrisia
Quem vê os telejornais fica com a ideia de um pobre povo palestiniano a ser massacrado por um agressor implacável, sem sensibilidade, sem dó nem piedade. A comunidade internacional aprova deliberações no Conselho de Segurança da ONU a "apelar" a um cessar fogo imediato, para evitar uma crise humanitária.

Mas a verdade não é essa. Quem atacou, quem atirou a primeira pedra, nesta crise foi o Hamas palestiniano. E continua a lançar mísseis contra a população civil israelita, indiscriminadamente. Não os dispara contra o exército israelita, mas sim contra os civis. Mistura-se com os civis palestinianos que usa como escudos humanos. Cada criança palestiniana ferida ou morta é um triunfo político para o Hamas.

Quem é que viola as leis da guerra? Israel tenta - ao menos tenta - não atingir populações civis; o Hamas que visa deliberadamente os atingir os civis. Israel é um Estado Soberano que cumpre a sua obrigação de defender a sua população civil contra os mísseis do Hamas, e que tem - em Direito Internacional - o direito de auto-defesa, de se defender desses mísseis. O Hamas, por sua vez, não é um Estado Soberano, é um movimento terrorista, de cujos princípios consta a expressamente - e não o esconde - a destruição do Estado de Israel.

Esta trégua é necessária ao Hamas para se reabastecer, agora que a zona norte foi cortada da zona sul da Faixa de Gaza. Toda agente sabe isto, e é pura hipocrisia pedir a Israel que permita o reabastecimento do Hamas em armas e mísseis.

Israel saíu da península do Sinai, saíu do sul do Líbano, saíu da Faixa de Gaza, sempre com a garantia formal da comunidade internacional do seu direito à existência. Mas não adianta fazer concessões em troca do direito à existência, porque nada é respeitado pelos terroristas do Hamas. Não vão parar enquanto tiverem uma arma na mão. Toda a gente sabe isto.

Toda a gente sabe também que o Hamas é controlado pelo Irão, tal como o Hisbolah, e fará tudo para sabotar os planos de paz que forem acordados com os Estado Árabes moderados.

Toda a gente sabe - e sabe bem - que as hostilidades terão fim quando o Hamas parar de mandar mísseis contra as populações civis israelitas. Então deixará de haver civis mortos e feridos, deixará de haver crise humanitária.

Porquê, então, tanta hipocrisia?


publicado por commonsense às 19:02
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Quarta-feira, 7 de Janeiro de 2009
a entrevista
Francamente, não consegui ver até ao fim a entrevista do nosso Primeiro Ministro. Enjoa-me a propaganda do costume, comprida demais, sem novidades, sem credibilidade, enfim, lixo eleitoral.
O pior é que, pouco tempo depois, veio o Banco de Portugal desmentir tudo o que tinha sido dito e os comentadores respeitáveis acabaram por massacrar o que restava do toda aquela demagogia boçal.
A melhor foi a afirmação de que o Governo ajudaria a não falir todas as empresas que pudesse. E fiquei a pensar: quais empresas? as dos amigos, as dos banqueiros, as dos construtores? e com que dinheiro?
Este Socrates continua a piorar, a piorar, de mal a pior.


publicado por commonsense às 22:09
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Domingo, 4 de Janeiro de 2009
a hibernação do SAPO
O Sapo está a entrar em hibernação.

Primeiro foi o commonsense que deixou de ter acesso ao login, o que impede a colocação de posts e, em geral, a gestão do blog, incluindo as mensagens que lá forem parar.

Agora são mais dois blogs amigos (não identifico para não lhes criar vulnerabilidades) que não conseguem postar.

Commonsense queixou-se, primeiro, à assistência técnica telefónica e, depois, a info@blogs.sapo.pt. Teve resposta: estão a tentar. Mas o problema já dura desde antes do Natal e nada...

Será que o SAPO está a entrar em hibernação?


publicado por commonsense às 09:29
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Sábado, 3 de Janeiro de 2009
o inverno do nosso descontentamento


Por aqui, começa a reinar a depressão. As perspectivas económicas são muito preocupantes. O Presidente disse-o com clareza e advertiu contra as ilusões e os investimentos mal gastos. É preciso ganhar competitividade e exportar. É vital.


Joaquim Aguiar, no comentário que fez, referindo-se ao papel de enquadramento político dos partidos, alertou para o perigo de os pastores perderem os rebanhos. Este perigo é já em parte realidade. Cada vez menos gente respeita e se reconhece em partidos políticos. Outros alertaram para o aumento violento do desemprego e para as convulsões sociais que daí podem advir.

Em simultâneo chegam-nos notícias de falta de seriedade e de carácter de parte de pessoas que ocupam posições de poder, seja na política, seja nas empresas.

Não há razões para optimismo.

Vem aí o inverno do nosso descontentamento.



publicado por commonsense às 19:47
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

blogs SAPO
mais sobre mim
visitas
subscrever feeds
links
pesquisar
 
posts recentes

de volta para o Blogger

o bastonário

broken windows

inocência

o bastonário

o regular funcionamento d...

Sócrates tem mesmo de ser...

bloco central revisited

o bairro da bela vista

um só Deus para tanta gen...

isto é uma vergonha (8) a...

SAP - sociedades anónimas...

a Chrysler faliu

viragem de rumo na Islând...

o Diário de Notícias e o ...

europeias 4 - o debate na...

the fool on the hill

europeias 3

combustíveis, concorrênci...

Vincent van Gogh

cego, surdo e mudo

sem eira nem beira

europeias 2

nem às paredes confesso.....

isto é uma vergonha (7) a...

candura

a sida, o comportamento s...

o bastoneiro da desordem

isto é uma vergonha (6) o...

Jennifer Junniper (Donova...

a saga do provedor

pinho & lino

o relatório Larosière

é preciso não perceber na...

madoff

consciência da impunidade

Portugal novo

já não era sem tempo

ó patego olh'ó balão

a cimeira europeia

tu quoque

isto é uma vergonha (5) "...

lá e cá, a Máfia

anomia

supervizinha

isto é uma vergonha (4) V...

invasão dos bárbaros

accionistas masoquistas

yes we can!

isto é uma vergonha (3) F...

arquivos

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Agosto 2005

Junho 2005

Maio 2005

tags

aborto baby-killers

american soft power

baby killers

baby killers 4

berlusconi

burocracia

casa pia

crianças

crianças; casa pia

crise

cultura

dinheiro

economia

esperança; política; desporto

ética

europa

freeport

fumar

guerra

islão

justiça

kosovo

natal

negócios

nuclear

ota

país

paz

pinho&lino

política

ps

psd

religião

renditions

saúde

sida

sixties

sociedade

socretinos

tabaco

universidade

todas as tags

subscrever feeds