O maior défice do País não é financeiro, nem é democrático, talvez seja neuronal, mas é concerteza de senso comum
Domingo, 30 de Novembro de 2008
o €uro e a crise

Acabo de chegar de Budapeste. A crise financeira, lá, é bem pior que aqui. Não conseguem aguentar a moeda e, se não fosse uma intervenção do BCE, a Hungria entraria em default externo.
 
Tinha lá estado no início do ano. A diferença é marcante: agora, já ninguém diz mal do €uro. Agora, toda a gente quer que a Hungria entre no €uro o mais depressa possível.
 
Também os Dinamarqueses já querem... e até os Islandeses.

 

Abençoado €uro. Se não fosse ele, onde estaria, hoje, a economia portuguesa?

tags:

publicado por commonsense às 22:43
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008
desemprego auto-sustentado e recessão auto-sustentada

De 2003 a 2008 o desemprego duplicou, de 200 mil para 400 mil.

Porque será, pergunto eu, que o emagrecimento das empresas há-de ser feito em todo lado pelo despedimento, em vez de o ser pela redução de outras despesas ou pela alienação de activos não estratégicos ou fora do core business.

Toda a gente sabe que, em número redondos, cada desempregado a mais resulta em 3 ou 4 consumidores a menos. Isto porque coloca em consumo mínimo toda a família do desempregado. Ninguém mais naquele agregado familiar viaja, vai ao cinema, janta fora, troca de carro, renova o computador pessoal, etc., etc.

Isto significa que só isoladamente a redução dos custos laborais poderia melhorar o desempenho da empresas. Se a prática for generalizada, como está a ser, acaba por ter efeitos perversos, por reduzir dramaticamente a procura e o consumo privado, e  agravar as dificuldades das empresas em vez de as reduzir. Acaba por profundar a crise.

No entanto, como cada empresa só pensa no seu próprio dia a dia e ninguém tem uma visão de conjunto e de médio/longo prazo, as coisas estão cada vez piores. E vão continuar a piorar. É o desemprego auto-sustentado, é a recessão auto-sustentada.

Será que eu estou a ver mal?



publicado por commonsense às 22:22
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quarta-feira, 19 de Novembro de 2008
o poema de "mente"

  

Há um primeiro-ministro que mente,

 

Mente de corpo e alma, completa/mente.

 

E mente de maneira tão pungente

que a gente acha que ele, mente sincera/mente,

mas que mente, sobretudo, impune/mente ...

 

Indecente/mente.

 

E mente tão nacional/mente,

que acha que mentindo história afora,

nos vai enganar eterna/mente.

 

Courtesy of Pitanguinha 



publicado por commonsense às 23:09
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 9 de Novembro de 2008
mona vazia

Ontem houve mais uma manifestação de professores em Lisboa. Se bem me pareceu, ainda foi maior que a anterior. E a ministra continuou a desvalorizar a reacção dos professores.

 

A ministra não tem uma ideia na cabeça: tem a mona vazia. Não entende que o ensino não pode melhorar, nem sequer funcionar decentemente, com a imensa maioria dos professores neste estado de espírito; que o ensino não pode funcionar sem os professores e muito menos contra os professores.

 

A ministra ainda não se apercebeu de que os melhores alunos que entram na universidade vêem do ensino particular, que o ensino do seu ministério é uma lástima.

 

A ministra não sabe - nem sonha - que o que tem que ser avaliado não são os professores, são as escolas. Devia, ao menos, perguntar como é que se faz nos outros países.

 

A ministra é que tem que ser avaliada.

 

Mas o mal é também do ministério. Ocupado pelos gonçalvistas desde 1974/75, nunca mais se curou. Hoje, já não tem cura. Se eu mandasse, era tranferido para a Expo, instalado ao lado do oceanário, e podia ser visitado com o mesmo bilhete. Quem lá está, lá continuaria, a fazer as mesmas coisas, isto é, nada de geito. Mas já não mandariam nem estragariam. Em seu lugar seria criado um novo: o Ministério da Instrução, que trataria de redignificar os professores, de lhes dar autoridade, de reabilitar as escolas, de restaurar a disciplina e o ensino. Com rigor, com autoridade, com disciplina, com qualidade de ensino, os jovens seriam preparados para a vida, como cidadãos, como profissionais, como pessoas.

 

No velho ministério haveria excursões, até vindas do estrangeiro, onde se poderia ver o que não se deve fazer. Lá estaria a Mona Vazia, sentada no seu gabinete. Penso que não daria por nada e nem se aperceberia da mudança. Para castigo, estaria todo o dia a ser avaliada, a prencher impressos e gráficos de avaliação... que seriam enviados directamente para a reciclagem.

 

Amen. 



publicado por commonsense às 19:05
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

civil partnership

Na Califórnia, conjuntamente com a eleição presidencial, foi votado um referendo contra o casamento homossexual. Tinha havido uma decisão do tribunal supremo da Califórnia em que o casamento homossexual havia sido reconhecido, mas este referendo acabou com ele.


Na Inglaterra, ao contrário do que se diz, também não é admitido o casamento homossexual: Ingleses são pragmáticos e, em vez disso, instituíram a civil partnership, que é uma associação civil entre pessoas, que resolve todos os os problemas pessoais e patrimoniais suscitados pela coabitação e pela economia comum.


É preciso não confundir coisas diferentes. Uma união homossexual não é um casamento. Mas existem uniões homossexuais e essas precisam de um regime jurídico que lhes resolva os problemas, designadamente de economia comum e da sua cessação, que vão surgindo. Para isso deveria instituir-se uma «união civil» como a inglesa.




publicado por commonsense às 07:50
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Sexta-feira, 7 de Novembro de 2008
migalhães


Lá vem pelo avelar
O filho do Zé João
Vem do centro escolar
Cansado de palmilhar
A caminho da povoação

Não há médico na aldeia
E a antiga escola fechou
Não tem carne para a ceia
Nem petróleo para a candeia
Porque o dinheiro acabou

O seu pai foi para França
Trabalhar na construção
E a mãe desta criança
Trabalha na vizinhança
Lavando pratos e chão

Mas o puto vem contente
Com o Migalhães na mão
E passa por toda a gente
Em alegria aparente
De quem já sabe a lição

Um senhor muito invulgar
Que chegou com mais senhores
Veio para visitar
O novo centro escolar
E dar os computadores

E lá vem o Joãozinho
No seu contínuo vaivém
Calcorreando o caminho
Desesperando sozinho
À espera da sua mãe

Neste país de papões
A troco de dois vinténs
Agravam-se as disfunções
O rico ganha milhões
E o pobre, Migalhães!


Courtesy of Sítio da Cuca



publicado por commonsense às 20:02
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Quarta-feira, 5 de Novembro de 2008
eleições americanas

Commonsense não votou nem em Obama nem em McCain. Também não se absteve porque não é americano e não vota ali. Fica a ver o que dali sairá, consciente que não coincidirá necessariamente com o dito na campanha. Uma coisa é certa: Obama vai prosseguir o que entender ser o "best interest" dos EUA e isso não concidirá provavelmente com o interesse da Europa.

Commonsense teria exactamente a mesma atitude se tivesse ganho McCain.

Não há pior do que deitar foguetes antes de tempo. Dá azar.

 



publicado por commonsense às 19:44
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 2 de Novembro de 2008
BPN e accountability

  

Lá foi o BPN. Já se esperava há muito tempo. Ninguém ficou admirado.

 

Commonsense só pergunta como é que foi possível que este Banco tivesse chegado a ser autorizado pelo Banco de Portugal.

 

E pergunta: francamente, o que é que andou a fazer a supervisão do Banco de Portugal, e por quanto mais tempo vai Constâncio continuar a assobiar para o lado como se não fosse nada consigo. 

 

Os responsáveis do BPN têm de ser chamados à pedra, mas os da supervisão do Banco de Portugal também. Esta permanente e persistente irresponsabilidade, da qual a culpa sai sempre solteira, não é boa para a respeitabilidade das instituições e do país.



publicado por commonsense às 20:02
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 1 de Novembro de 2008
dardos

Commonsense foi simpaticamento contemplado pelo Jorge Assunção do Despertar da Mente com o prémio DARDOS.

 

Este prémio obriga a:

1. Exibir a imagem distintiva

2. Linkar o blogue pelo qual recebi o prémio

3. Encontar outros 15 blogues a quem entregar o prémio

 

A imagem aqui está. O link já cá estava e volto a inseri-lo.

Os outros quinze blogs a quem lanço os dardos são os seguintes (and the winners are....):

 

Primeiro, blogs náuticos da minha predilecção: milhas náuticas , blue moon I e atlântico azul

Em seguida, induzido pelas magníficas fotografias dos anteriores, um blog de fotografia genial: solar nature

E agora, dez blogs de intervenção cívica, começando com três femininos (ladies first):

padeira de ajubarrota, Comadres,Compadres & Companhia e Miss Pearls ; o mal de Portugal chama-se socialismo, o insurgente, blasfémias, barão da tróia

do portugal profundo, touaqui42grande loja do queijo limiano

e finalmente, em tempo de aflição económica, Helena Garrido no  visto da economia.

 

Aqui fica cumprida a tarefa. Commonsense gosta destes blogs. É exclusivamente sua a responsabilidade da escolha.



publicado por commonsense às 23:35
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

blogs SAPO
mais sobre mim
visitas
subscrever feeds
links
pesquisar
 
posts recentes

de volta para o Blogger

o bastonário

broken windows

inocência

o bastonário

o regular funcionamento d...

Sócrates tem mesmo de ser...

bloco central revisited

o bairro da bela vista

um só Deus para tanta gen...

isto é uma vergonha (8) a...

SAP - sociedades anónimas...

a Chrysler faliu

viragem de rumo na Islând...

o Diário de Notícias e o ...

europeias 4 - o debate na...

the fool on the hill

europeias 3

combustíveis, concorrênci...

Vincent van Gogh

cego, surdo e mudo

sem eira nem beira

europeias 2

nem às paredes confesso.....

isto é uma vergonha (7) a...

candura

a sida, o comportamento s...

o bastoneiro da desordem

isto é uma vergonha (6) o...

Jennifer Junniper (Donova...

a saga do provedor

pinho & lino

o relatório Larosière

é preciso não perceber na...

madoff

consciência da impunidade

Portugal novo

já não era sem tempo

ó patego olh'ó balão

a cimeira europeia

tu quoque

isto é uma vergonha (5) "...

lá e cá, a Máfia

anomia

supervizinha

isto é uma vergonha (4) V...

invasão dos bárbaros

accionistas masoquistas

yes we can!

isto é uma vergonha (3) F...

arquivos

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Agosto 2005

Junho 2005

Maio 2005

tags

aborto baby-killers

american soft power

baby killers

baby killers 4

berlusconi

burocracia

casa pia

crianças

crianças; casa pia

crise

cultura

dinheiro

economia

esperança; política; desporto

ética

europa

freeport

fumar

guerra

islão

justiça

kosovo

natal

negócios

nuclear

ota

país

paz

pinho&lino

política

ps

psd

religião

renditions

saúde

sida

sixties

sociedade

socretinos

tabaco

universidade

todas as tags

subscrever feeds